sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Entre as tépidas coxas te palpita

Ken Josephson, 1973


Entre as tépidas coxas te palpita
um negro coração febril, fendido,
de remoto e sonâmbulo latido
que entre escuras raízes se suscita:

um coração felpudo que me incita
mais que outro cordial e estremecido
a entrar como na casa em que resido
até tocar o grito que te habita.

E quando jazes toda nua,
quando ávida as pernas abres palpitando,
e até ao fundo, em frente a mim, te fendes,

um coração podes abrir, e se entro
com a língua nas entranhas que me estendes,
posso beijar teu coração por dentro.


Tomás Segovia (tradução de David Mourão-Ferreira)

Russ Meyer, Beneath the Valley of the Ultra Vixens, 1979

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...