segunda-feira, 2 de maio de 2011

Posse

Stefan May

Vem cá! Assim, verticalmente!
Achega-te... Docemente...
Vou olhar-te... E, no teu olhar, colher
Promessas do que quero prometer,
Até à síncope do amor na alma!
Colemos as mãos, palma a palma!
A minha boca na tua, sem beijo...
Desejo-te, até o desejo
Se queixar que dói...

E sou tua, assim, como nenhuma foi!


Leonor de Almeida

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...